Sábado, 15 de Janeiro de 2005

Mais um postal ilustrado do Bunheiro

Hpim2220.jpg

Confesso que não sei muito bem como é que este recanto, chegou a tal ponto de desleixo.

Para quem não reconhecer, este espaço situa-se ao lado do cemitério do Bunheiro (mesmo entre o cemitério e o monte de terra da foto anterior).
Lembro-me deste espaço bem delineado dos terrenos envolventes, julgo que com uma cobertura de cimento, com arbustos, chegou até a ter bancos e o pilar granítico que se vê ao fundo era encimado por uma imagem de Nossa Senhora, comemorativa de um ano Mariano; a base eram, salvo erro, uns losangos de granito sobrepostos (provávelmente ainda lá está, mas não se vê), atrás desse pilar havia um biombo de ciprestes.
Habituei-me desde pequena a ver este espaço como um recanto "arranjadinho" e agradável desta freguesia.

Como dizia no princípio, não sei muito bem, como é que a destruição começou, nem porque ordem aconteceu. As árvores desapareceram para dar lugar ao lindo quadro de abandono que é a ribeira do solão e o seu acesso. Para a frente e até aos portões do cemitério, desapareceu o contorno deste "jardim", desapareceram os arbustos, desapareceram os bancos...e foi tudo substituído por uma camada mal posta de um qualquer sucedâneo de asfalto...na base do monumento "plantaram" um monte de paralelos (talvez com a esperança de que se reproduzam e sejam suficientes para fazer a cobertura), quanto à imagem de Nossa Senhora, o tornado que destruiu muita coisa no centro da freguesia, em Novembro de 2002, "levou-a" e ficamos com um pilar vazio que se desaparecesse se calhar até ajudava a apagar tudo aquilo da nossa memória.
Não sei exactamente de quem é a responsabilidade deste espaço...mas de certeza que é de alguém..
Meus senhores, este é o centro da freguesia...e postais ilustrados destes, são perfeitamente dispensáveis. Acho que já é tempo de dar a volta a isto.
publicado por Zé às 12:08
link do post | comentar | favorito
|
4 comentários:
De Anónimo a 26 de Janeiro de 2005 às 01:54
Nasci nessa aldeia marinhoa e ainda me recordo de ter trabalhado na cimentação dessa área. O meu pai, o falecido professor jaime Vilar, era o presidente da freguesia na época, e foi um homem que se esforçou mais pelo desenvolvimento da freguesia do que qualquer outro.
Ja passaram uns anos desde que Deus o entendeu chamar para que contas lhe sejam prestadas, e com a sua partida também o esquecimento em honrar os que lutam pela melhoria de seu mundo particular.

Num mundo que está engravidado de egoísmo não é de estranhar que se abortem obras, suor, e lágrimas de outros em prol da santa terrinha.
Bem hajam, bunheirões, e para a frente!

Adérito VIlar

Adérito
</a>
(mailto:aderitov@yahoo.com)
De Anónimo a 15 de Janeiro de 2005 às 14:03
Pela foto compreendo a tua tristeza. Todos nós nos lembramos daqueles cantinhos especiais da nossa infância, seja ele um jardim ou somente um monte remoto cheio de erva para onde iamos brincar à sombra daquele pinheiro; e agora, agora são somente vias-rápidas, lixeiras, supermercados ou um qualquer depósito de nada...Celtis
(http://omural.blogs.sapo.pt)
(mailto:luismreis@hotmail.com)
De Anónimo a 15 de Janeiro de 2005 às 13:58
Com esta atenção àquilo que está verdadeiramente mal e que até custa muito pouco a corrigir, só falta um bocadinho de tempo para a leitura dos blogues murtoseiros por parte dos responsáveis para que a Murtosa seja bem melhor. Quem gosta da sua terra defende-a.João Cruz
</a>
(mailto:joao.cruz@netvisao.pt)
De Russo a 11 de Janeiro de 2010 às 17:46
a imagem de nossa senhora, em cima do pilar, desapareceu num temporal enorme que aconteceu a muito tempo...quem viu diz k fortes ventos formaram um ciclone...o que levou telhas, paredes antigas, a nossa senhora e até algumas campas perto do centro do cemiteriu, pois as casas do centro desmorunaram-se um pouco por cima

R4

Comentar post